Depois de ter sido quase descartado do Ministério da Previdência Social por setores do governo e do PMDB, o ministro Amir Lando poderá permanecer no cargo, na reforma ministerial. Um dirigente nacional do partido afirma que Lando teve nesta semana uma audiência com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pediu-lhe autorização para viajar em fevereiro ao exterior com o objetivo de negociar parcerias com o Banco Mundial (Bird) e o Fundo Monetário Internacional (FMI). Lula não só autorizou a viagem como deu um conselho a ele: "Amir pare de ler jornal, e vamos trabalhar", teria dito, de acordo com o relato de um alto funcionário do governo. Na conversa de hoje com Lula, os dirigentes do partido não retirarão o apoio partidário a nenhum ministro peemedebista. Da reunião com o ele, participam os líderes da legenda no Senado, Renan Calheiros (AL) e na Câmara, José Borba (PR), e o presidente do Congresso, senador José Sarney (PMDB-AP). Os peemedebistas não tomarão a iniciativa de tratar de cargos e só reafirmarão o suporte da cúpula aos dois ministros da sigla – Lando e Eunício Oliveira (Comunicações) -, se forem provocados. Calheiros antecipou que aguardará que Lula dê o tom do encontro e que, se for indagado sobre qualquer indicação, dirá que ouvirá a bancada e que a agremiação quer fazer tudo de comum acordo com o presidente.