O juiz Ernesto Dória, do Tribunal Regional Federal (TRF) de Campinas (SP) foi solto às 2 horas desta madrugada, em Brasília (DF). Ele havia sido preso em flagrante por porte ilegal de arma e por isso era o único magistrado, entre os detidos pela Polícia Federal, que ainda permanecia na carceragem da Superintendência da PF na capital federal.

O advogado do juiz, Leonardo Marinho, entrou com o pedido de liberdade provisória no Superior Tribunal de Justiça (STJ) na tarde de ontem. O alvará de soltura foi concedido no início da noite pelo vice-presidente do STJ, Francisco Martins. Segundo a polícia, Dória recebia uma mesada da organização criminosa em troca de liminares favoráveis a donos de bingos e caça-níqueis, mas acabou denunciado por corrupção ao Supremo Tribunal Federal (STF) juntamente com outros dois juízes, um procurador e o ministro Paulo Medina, do STJ. As informações são da Globo News.