O Paraná deve fechar na próxima semana um dos primeiros resultados diretos da ?Semana do Paraná na França?, evento realizado no ano passado e liderado pelo governador Roberto Requião. Uma rodada de negócios com o comprador chefe do grupo Okaidi, Eric Deser, com cerca de 800 lojas espalhadas em 30 países, terá como foco selecionar parceiros paranaenses para os segmentos de camisaria e jeans com a empresa francesa. A visita de Eric ao Paraná começa na segunda-feira (13) e as rodadas de negócios ocorrerão na quarta-feira (15).

Segundo Conceição Borges, consultora internacional e coordenadora da missão à França para o setor da Indústria do Vestuário Paranaense, o sucesso da missão comercial e governamental vem se confirmando desde o retorno ao Brasil. ?Já recebi aqui o contato das marcas Chanel, Dior, Jean Paul Gaultier, Givenchi e da Itália, marcas como Armani e Versace. É a primeira vez que um contato direto dessas marcas vem ao nosso país, onde conseguimos divulgar nosso Estado para o top do mercado da moda mundial?, ressaltou Conceição.

Esta será a primeira visita do grupo Okaidi no Paraná e a segunda no país. Com metas de inaugurar em setembro de 2006 sua primeira loja nos Estados Unidos, a empresa está preparando terreno na América Latina para avaliar qual país tem condições de receber a unidade de produção para a distribuição em toda a América. Organizados com o apoio da Secretaria Estadual da Indústria, do Comércio e Assuntos do Mercosul, as empresa Dudalina; de Terra Boa, Scozy; de Siqueira Campos e Camisaria Vitória; de Cascavel, além do APL de Terra Roxa ? Linha Bebê, serão apresentados para o grupo durante a rodada de negócios.

Com um faturamento anual de US$ 350 milhões, o diretor-geral adjunto do grupo Okaidi, Jérume Obry, explicou a estratégia de marketing e comercialização onde todas as lojas obedecem ao mesmo critério. ?Escolhemos uma coleção para o mundo inteiro para que a marca seja conhecida em todo lugar?, contou.

Para o secretário Virgílio Moreira Filho, a diretoria da empresa já se surpreendeu com as informações sobre a capacidade de produção e o parque industrial instalado no ramo de confecções e acessórios no Paraná. ?Eles agora têm interesse de conhecer de perto toda a nossa estrutura. As missões servem justamente para abrir novas frentes e revelar potencialidades?, conclui.