Lucimar do Carmo / GPP
Lucimar do Carmo / GPP

Segundo dados do Caged, até novembro, foram criadas 4,968 milhões de vagas
de trabalho com carteira assinada.

Brasília – No primeiro mandato do presidente Lula deverão ser gerados perto de cinco milhões de empregos. Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta terça-feira (19) pelo Ministério do Trabalho, até novembro, foram criadas 4,968 milhões de vagas de trabalho com carteira assinada.

Ao comentar os números, o ministro Luiz Marinho disse que, em dezembro, muitos trabalhadores costumam perder o emprego, mas ressaltou que o número de demissões no último mês deste ano não deve alterar muito o estoque de empregos gerados. 

"Conseguimos manter uma média de geração de empregos superior à meta que estabeleci quando assumi o ministério", afirmou Marinho, referindo-se à média de 105,721 mil criados por mês. A meta estabelecida pelo ministro era de 100 mil vagas mensais. Ao final de dezembro, o número de novos empregos deve chegar a 1,250 milhão.

Marinho destacou que, além da geração de emprego, os salários estão  melhorando. Em 2005 a massa salarial cresceu 8,1%, como conseqüência do aumento do número de empregos de 5,8% e de 2,1% no rendimento médio dos salários no país. Para 2006, ele acredita na repetição de tal performance.

Sobre a influência, no mercado de trabalho, das medidas econômicas a serem anunciadas na próxima quinta-feira (21), o ministro mostrou-se otimista, mas não quis arriscar projeções. "São medidas que vão repercutir positivamente no mercado econômico e de trabalho", disse ele, destacando especialmente os setores de construção civil e infra-estrutura.