Terminou com divergência de números a reunião de quase quatro horas entre representantes do Movimento Sem Terra(MST) e os ministros Miguel Rossetto, do Desenvolvimento Agrário, José Dirceu, da Casa Civil e Luiz Dulce secretário geral da Presidência da República.

Durante o encontro foi distribuído uma Balanço de Execução da Reforma Agrária, mostrando que de janeiro a maio 29.317 novas famílias tiveram acesso a terra. João Paulo Rodrigues, da coordenação nacional do MST contestou a informação dizendo que na avaliação do Movimento, até agora foi assentado um número inferior a oito mil famílias. ?Há uma divergência significativa de famílias que foram assentadas?. Ele também manifestou a preocupação com as liberações de créditos, dizendo que as ?famílias não têm conseguido acessar o crédito do Pronaf, há uma limitação muito grande em função da burocracia nos bancos e estamos pedindo que o Governo crie novos instrumentos para que as famílias possam acessar o crédito”. Para ele isto tem de acontecer até o mês de junho para garantir que os assentamento sejam beneficiados no Plano Safra.

O ministro Rossetto rebateu as críticas de João Paulo Rodrigues, que não opinião dele está desinformado. ?Todos os nossos dados estão absolutamente abertos e revelam enorme esforço do Governo e do Incra, no sentido de assegurar todo o Plano Nacional de Reforma Agrária?. O ministro reafirmou a garantia de 30 mil famílias assentadas, ou com Programas de Assentamentos criados, ?por tanto com terra. Estamos em processo final de assentamento e estamos trabalhando fortemente para cumprir todas as nossas metas e, mais do que isto, apresentamos um conjunto de dados que demonstra todo o cumprimento do Governo do Plano Nacional de Reforma Agrária?. Isto não diz respeito apenas aos assentamentos, mas sua qualificação, ampliação de recursos para a assistência técnica, discutindo crédito produtivo para estimulo a agroindústria e a produção associativada?.

Apesar da reclamação inicial, João Paulo Rodrigues reafirmou sua confiança que o Governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai cumprir suas metas para a reforma agrária e se comprometeu de que o MST irá colaborar. Ele apenas demonstrou preocupação de que a greve do Incra possa atrapalhar. O ministro Rossetto também se disse preocupado, embora reconheça a ligitimidade na pauta de revindicações, mas que estão sendo sendo tomadas medidas pelo Governo ?e não há razão para a continuidade da greve?.