A Telefônica informou hoje, por meio da sua assessoria de imprensa, que ainda não foi comunicada oficialmente a respeito dos processos administrativos instaurados pela Fundação Procon de SP. A empresa adianta, no entanto, que prestará todas as informações necessárias ao órgão, visando esclarecer as medidas já tomadas nos eventos citados pelo órgão estadual.

Segundo o Procon-SP, a empresa será alvo de cinco processos administrativos por suspensão de serviços na telefonia fixa (no dia 8 e em junho) e na banda larga Speedy (fevereiro, abril e maio). De acordo com a Fundação Procon-SP, ao fim de cada processo, a companhia poderá receber multas de até R$ 3,2 milhões.

Em nota, a Telefônica explica que já tomou medidas para atender à forte demanda dos consumidores paulistas por serviços de banda larga, especialmente conteúdo multimídia. “Entre as principais medidas do Plano de Estabilização do serviço, concluído em julho passado, foram duplicadas as capacidades de resolução dos servidores DNS e da saída internacional de internet”, informou a empresa.

A respeito das dificuldades para completar chamadas ocorridas em 9 de junho e 8 de setembro (neste caso, apenas na região da Grande São Paulo), a Telefônica diz que informou, no primeiro caso, que o problema ocorreu em função de um erro humano cometido pela equipe de um fornecedor de serviços. “No segundo caso, a empresa trabalha na conclusão das investigações, mas um de seus fornecedores informou que descargas elétricas ocorridas naquele dia de forte tempestade afetaram o funcionamento de três equipamentos de sinalização da rede de voz da empresa”, registrou a companhia.

A companhia ressalta ainda que nos dois eventos concederá desconto aos clientes das regiões afetadas, de acordo com o que determina a regulamentação vigente. “Especificamente no caso de clientes corporativos, a empresa já iniciou diálogo para definir os descontos aplicáveis a cada um deles, de acordo com as disposições contratuais estabelecidas”.

A empresa conclui dizendo que está discutindo um acordo com o Procon no tocante a medidas de aperfeiçoamento do relacionamento com os seus clientes. Paralelamente a esta negociação, a empresa diz que já adotou ações concretas para a reformulação do atendimento prestado aos consumidores, como a certificação de qualidade em 100% das vendas do serviço Speedy. “Estas e outras medidas já geraram resultados como a redução de 36,6% do número de chamadas para o call center técnico e a queda no próprio volume de reclamações sobre serviços da Telefônica no Procon-SP, de 47,3%, na comparação entre março e agosto de 2009”, informa.