Brasília – O governo alcançou no ano passado o maior superávit primário (economia para pagamento de juros da dívida), no valor de R$ 101, 606 bilhões, da série histórica do Banco Central, iniciada em 1991. O resultado supera a meta de R$ 95,9 bilhões estabelecida para o ano passado.

No mês de dezembro, entretanto, foi registrado o maior déficit primário (necessidade de financiamento) da série, chegando a R$ 11,780 bilhões.

Segundo o chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Altamir Lopes, o mês de dezembro é caracterizado pelo aumento das despesas do governo. ?Tem dispêndio com 13º, com férias, desembolso para coberturas de investimentos maiores?.

No ano, a carga de juros chegou a 6,25% do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país. Esse é o melhor resultado desde 1997, quando ficou em 4,61% do PIB.

?Um resultado de juros menor, associado a um resultado primário recorde para a série, teve como ponto final um resultado nominal (as despesas maiores maiores que receitas geraram o déficit nominal de R$ 57,926 bilhões) de 2,27% do PIB, o menor também para a série?, disse Lopes.

?É baixo [o deficit nominal], se consideramos os resultados que vínhamos obtendo até recentemente?, acrescentou. A expectativa de Lopes é de que o déficit nominal caia em 2008 para 1,2% do PIB e a dívida pública se reduza de 42,8%, resultado recorde registrado em dezembro do ano passado, para 41,5%.

Segundo ele, essa projeção é feita com base nas perspectivas do mercado, com crescimento da economia de 4,5%, juros médios de 11,3% no ano, além do cumprimento da meta de superávit primário de 3,8%.

Altamir Lopes acrescentou que o Banco Central trabalha com um cenário de cumprimento da meta de superávit primário. ?Do ponto de vista de expectativas, nós trabalhamos com o cenário dado. Um cenário dado é um cenário de cumprimento da meta. Trabalhamos com a certeza do cumprimento da meta de 3,8%?.

?Dada essa certeza de cumprimento da meta e dado o cenário macroeconômico que consta das expectativa de analistas de mercado, o quadro que se apresenta é bastante benigno?, acrescentou.