A safra de grãos de verão 2007/08 que começa a ser colhida no Paraná deverá render uma colheita de 21,43 milhões de toneladas de grãos, que corresponde a um crescimento de 1,2% sobre a safra de grãos do verão do ano passado que atingiu uma produção de 21,17 milhões de toneladas. ?A consolidação da safra de verão assegura a colheita de uma produção importante para o Estado e sinaliza a tendência de uma boa safra ao longo de 2008, que pode chegar a 30 milhões de toneladas?, disse o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Valter Bianchini.

A pesquisa divulgada por Bianchini nesta sexta-feira (11) é do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, que prevê novamente uma boa safra agrícola para o Paraná. A soja e o milho, principais grãos de verão cultivados no Estado, foram beneficiados pelo clima e a colheita deverá revelar boa produtividade e qualidade dos grãos. As chuvas regulares que caíram sobre o Estado, principalmente a partir de outubro, influenciaram no bom desempenho das lavouras que começam a ser colhidas.

Segundo Bianchini, a safra paranaense está chegando ao mercado num momento de boas cotações dos grãos no mercado internacional. ?Sucessivos recordes no preço da soja na Bolsa de Chigago e o aumento das exportações de milho deverão provocar impactos positivos na economia paranaense?, afirmou.

O maior volume de produção está previsto para a soja que deverá atingir 11,87 milhões de toneladas, um acréscimo de 114.650 toneladas sobre a safra anterior, que foi de 11,76 milhões. Conforme a assistência técnica, a consolidação desse resultado está dependendo da continuidade das chuvas em janeiro para fortalecer a formação de grãos, destacou o diretor do Deral, Francisco Simioni.

O cenário para comercialização da soja é positivo, sendo que as cotações do grão na Bolsa de Chicago, que baliza o mercado internacional do grão, vem batendo sucessivos recordes, lembrou Bianchini. Os estoques mundiais são os menores dos últimos anos e as cotações de Chicago atingiram o patamar de US$ 460 a tonelada. Em janeiro do ano passado as cotações da soja estavam por volta de US$ 256,00.

Essa valorização já está refletindo no bolso do produtor paranaense. Eles estão recebendo, em média, R$ 42,20 a saca de 60 quilos.