Os desdobramentos da Operação Lava Jato podem impactar no desempenho da economia brasileira em 2015, impondo ainda mais dificuldades que as já colocadas pelo baixo crescimento esperado para 2014. A avaliação é do presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade. “Essa Operação Lava Jato é um complicador para a economia, porque tem as grandes empresas, construtoras importantes (envolvidas)”, disse.

Para Andrade, o fato de a operação deflagrada pela Polícia Federal envolver as principais empreiteiras do País significa que é preciso encontrar uma solução para garantir os investimentos do governo em infraestrutura e manter empregos. “Temos de encontrar uma solução para que as empresas possam continuar trabalhando”, disse. “São empresas que têm muita tecnologia, muitos e muitos anos trabalhando em obras de infraestrutura e um número enorme de trabalhadores”, observou.

Câmbio

Andrade projetou como ideal uma cotação do dólar a R$ 3,00 para o setor produtivo competir no mercado internacional. “O câmbio deveria estar mais perto de R$ 3,00 do que R$ 2,70”, disse, durante apresentação de balanço sobre 2014 e perspectivas para 2015.

O executivo indicou um câmbio mais valorizado como essencial para o Brasil “exportar mais”. Ele também apontou um taxa de juros menor como fator de competitividade para a indústria. “Câmbio e juros são dois fatores que podem nos dar competitividade”, afirmou.