Duas minas de cobre da Vale na Amazônia, Salobo e Sossego, estão sendo investigadas pelo Ministério Público Federal (MPF), após denúncia de que utilizam indevidamente terras indígenas e não substituem áreas da floresta utilizadas para construção de uma de uma linha de energia, informa a agência de notícias “Reuters”, citando o procurador André Casagrande Raupp, de Marabá (Pará).

A Vale informou, por e-mail, que ainda não tem os detalhes sobre a investigação do MPF. Disse, porém, que seus projetos de mineração de cobre estão a pelo menos 50 km das aldeias indígenas Cateté e Djudjekô e fora da reserva Xikrin, onde vivem os índios. Um porta-voz da Vale disse, segundo a “Reuters”, que a companhia está esperando por uma notificação formal da promotoria e que está pronta para fornecer qualquer esclarecimento necessário. As informações são da Dow Jones.