Embora as micro e pequenas empresas representem 98,5% dos empreendimentos brasileiros, falta uma política voltada para o setor no País. A constatação é do ministro-chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Daniel Vargas, que está viajando pelo Brasil para discutir empreendedorismo com empresários, instituições e autoridades.

Ontem, Vargas esteve na Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), em Curitiba. A intenção é ouvir todas as partes para construir um novo modelo de desenvolvimento no País, com a inclusão e o fortalecimento das micro, pequenas e médias empresas.

Os micro e pequenos empreendimentos são responsáveis pela geração de 70% da mão de obra nacional. Estas empresas já exportam em quantidade considerável e contribuem nas taxas de crescimento do País, segundo o ministro. Mas, na visão de Vargas, é necessário criar um ambiente propício para que as micro, pequenas e médias empresas ganhem volume e se destaquem.

Um dos maiores desafios para isso, de acordo com ele, é o acesso ao crédito. “Está tramitando no Congresso Nacional um projeto para criação de um fundo garantidor, que seria o aval concedido pelo Estado para dar esta garantia”, afirma. Com a medida, será possível conceder pelo menos R$ 4 bi em crédito. “Isso será um grande estímulo à formalização e à criação de novos negócios”, avalia.