A balança comercial da primeira semana de novembro – com apenas um dia útil – apontou crescimento maior das exportações que das importações, conforme os dados divulgados hoje pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex). Trata-se de um desempenho oposto ao verificado no fluxo comercial brasileiro ao longo deste ano, mas que não deve ser avaliado como tendência para o final do ano porque refere-se ao movimento de apenas um dia útil.

Os embarques somaram US$ 914 milhões no dia 1º de novembro e avançaram em 53,6%, na comparação com a média diária de exportações de novembro de 2006, por conta principalmente dos desempenhos dos setores de material de transportes, de carnes, de petróleo e derivados, de açúcar, de minérios e de soja.

Os desembarques do dia 1º, de US$ 645 milhões, aumentaram em 49 0%, motivados pelas compras de combustíveis, de equipamentos mecânicos e eletroeletrônicos, de automóveis, de instrumentos de ótica/médicos, de plásticos, de produtos da indústria química e de siderúrgicos.

O saldo positivo, portanto, foi de US$ 269 milhões. Esse número elevou o superávit acumulado no ano a US$ 34,645 bilhões – cifra US$ 4,011 bilhões ou 10,4% menor que a de igual período de 2006 e resultado de US$ 133,282 bilhões em exportações e de US$ 98 637 bilhões em importações.