A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) encerrou o mês de novembro em 0,27%, em comparação com alta de 0,09% apurada no indicador anterior, de até 22 de novembro.

A principal contribuição para a aceleração do indicador partiu do grupo Alimentação, que registrou forte aceleração de preços (de 0,06% para 0,60%), na passagem do IPC-S de até 22 de novembro para o índice fechado do mês de novembro.

Das sete classes de despesa usadas para cálculo do índice, três apresentaram elevação mais intensa de preços, no período. Além de Alimentação, é o caso de Transportes (de 0,08% para 0,29%), e de Despesas Diversas (de -0,11% para 0,08%).

Outros três grupos registraram desaceleração de preços, no mesmo período, como Habitação (de 0,01% para variação zero); Vestuário (de 1,01% para 0,99%) e Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,10% para 0,06%). Já o grupo Educação, Leitura e Recreação permaneceu com a mesma taxa de elevação de preços, no período (de 0,09%).