Cumprir pena no sistema penitenciário, pagar pelos seus atos. Na hora de retomar a vida em sociedade, a maioria dos ex-detentos enfrentam dificuldade e preconceito no momento de procurar emprego.

Em Londrina, uma parceria entre o Patronato Penitenciário da cidade e a Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) mostra que, incentivando, os egressos (como também são chamados os ex-presos) podem se capacitar e conseguir uma vaga no mercado de trabalho.

O projeto funciona há 60 dias e cumpridores de penas alternativas trabalham em mutirões de limpeza em várias regiões de Londrina. “O resultado foi muito positivo e a parceria foi muito válida. Consegui indicar alguns para uma empresa terceirizada e quatro já foram contratados. Uma quinta pessoa só depende de regularização na documentação para ser contratado”, afirma Ronaldo Siena, assessor técnico da diretoria de operações da CMTU.

Ele conta que outros dez estão trabalhando nos mutirões. “Existem diferentes casos aqui, inclusive de pessoas que já cumpriram pena em regime fechado e hoje estão no regime aberto”, explica.

Para Siena, a oportunidade deve ser dada para pessoas que ainda cumprem pena ou que já deixaram as penitenciárias. “Precisamos mudar isso. Se não houver oportunidade, essas pessoas vão voltar para o crime”, comenta.

No final do ano passado, o Conselho Nacional de Justiça e o Supremo Tribunal Federal lançaram uma campanha para sensibilizar a sociedade sobre a importância de empregar egressos.

Na época, foi anunciado que seria estabelecida uma parceria com instituições para capacitação de presos, além da criação de um banco de vagas. O projeto, batizado “Começar de Novo”, ainda não apresentou resultados.

Além dos patronatos penitenciários, o Departamento Penitenciário do Estado do Paraná (Depen) também possui outros programas de ressocialização, que envolvem, entre outras ações, parcerias com instituições de formação profissional, como os serviços nacionais de aprendizagem Comercial (Senac) e Industrial (Senai), e o Serviço Social do Comércio (Sesc). Mais informações sobre os programas podem ser encontradas no site da Depen (www.depen.pr.gov.br), ou nos telefones (41) 3232-6489 ou (43) 3326-0404.

Se você tiver críticas ou sugestões, envie e-mail para economia@oestadodoparana.com.br.