Funcionários da Companhia Brasileira de Logística (CBL) continuaram ontem a operação da retirada das 14,6 mil toneladas de milho de um silo da empresa, em Paranaguá. O silo estava com rachaduras, percebidas na sexta-feira. As equipes envolvidas no trabalho estão retirando 420 toneladas de milho por hora, acima da previsão de 300 toneladas por hora. A retirada deve ser concluída hoje pela manhã. A área próxima do silo está isolada.

Segundo a assessoria de imprensa da CBL, a operação vai conter a pressão sobre as paredes do silo. A equipe da Construtora Vasconcellos, responsável pela obra, vai verificar os motivos das rachaduras somente após a retirada completa do milho. Posteriormente, a construtora  emitirá um laudo determinando as causas das fissuras e as condições de segurança do local. O silo com as rachaduras – com capacidade para 15 mil toneladas – é a primeira etapa de um projeto da CBL para a ampliação de capacidade de armazenagem do terminal. Foi a primeira vez que a CBL havia carregado o silo.