Ainda que a perspectiva da safra de grãos 2008/09 seja menor do que a do período anterior, o presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Wagner Rossi, comemorou a estimativa apresentada hoje pela estatal, ligada ao Ministério da Agricultura. “Estamos garantindo a segunda maior safra da história, com a perspectiva de colheita de 3 milhões de grãos a mais do que há dois anos – até então, a segunda maior”, comparou. Pelas projeções da Conab, a safra de grãos 2008/2009 deve cair 6,9% na comparação com a anterior (144,11 milhões de toneladas), para um total de 134,15 milhões de toneladas.

O principal motivo da redução da produção este ano foi o fator climático, com estiagem no Sul do País e chuvas em demasia no Nordeste. O presidente da Conab comentou, porém, que o resultado pode ser minimizado pelo volume de estoques superiores ao padrão histórico. “Nem todas as consequências são ruidosas”, avaliou. Rossi salientou que, desde o início, a projeção de queda da safra pela Conab foi “mais contida”, em torno de 5%. Outros órgãos e setores privados, porém estimavam redução próxima a 10%. “O resultado foi algo no meio do caminho, uma queda de quase 7%”, comparou.