O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou nesta segunda-feira, 9, a ampliação das alternativas de financiamento para a compra de bens de capital. O banco de fomento terá agora uma nova taxa de juros fixa, a valores de mercado, para complementar os empréstimos da linha BNDES PSI, cujas condições ficaram mais restritivas após a renovação do Programa de Sustentação do Investimento (PSI), em 1º de janeiro.

Segundo nota divulgada pelo BNDES, a nova taxa de juros fixa será atualizada mensalmente e permitirá ampliar para até 90% a participação de financiamento do banco de fomento, no caso das operações de aquisição de ônibus e caminhões, incluindo a linha especial para o financiamento ao caminhoneiro autônomo, o BNDES Procaminhoneiro.

O programa BNDES PSI financia com taxas fixas a compra de bens de capital de fabricação nacional. O limite para o financiamento com as taxas do programa é de 50% do valor do bem (para grandes empresas) e de 70% (para empresas de porte menor). O cliente, entretanto, pode financiar até 90% do valor, complementando a taxa do PSI com taxas de mercado.

A novidade é que o BNDES está oferecendo aos clientes a opção de cobrir a parcela que exceder os 50% ou 70% também com uma taxa fixa, a custo de mercado, informou o BNDES na nota.

Os valores das taxas fixas para fevereiro são de 17,24% ao ano para micro, pequenas e médias empresas (MPMEs) e de 15,74% ao ano para demais empresas. Segundo o BNDES, na composição do crédito (PSI + taxa de juros fixa), ficará mantida a vantagem de custo do financiamento para as MPMEs, já que a participação do BNDES na parcela de financiamento com juros subsidiados do PSI a essas empresas é maior.

A medida foi comunicada aos agentes financeiros por meio de circulares do BNDES e o novo instrumento já está disponível. Inicialmente, valerá nas linhas para a aquisição de ônibus e caminhões. Numa segunda etapa, o benefício será ampliado para o financiamento dos demais bens de capital financiados pelo BNDES PSI.