O vice-presidente de Negócios Internacionais e Atacado do Banco do Brasil (BB), Allan Toledo, afirmou hoje que a instituição financeira espera obter até o final de junho autorização do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) para atuar na área de varejo naquele país. “Esperamos que esse processo esteja concluído até o final do primeiro semestre”, disse.

O banco federal pretende aumentar a sua presença no exterior. Segundo Toledo, o BB pode entrar nos Estados Unidos por meio da compra de ativos físicos de bancos, como redes de agências, ou construção de estrutura própria. “Estamos avaliando as opções”, disse.

Outro alvo do BB em sua estratégia de internacionalização é a Argentina. Toledo afirmou hoje, durante evento que marcou a assinatura de um convênio entre o banco e o grupo JBS Friboi, que a instituição continua avaliando a compra de ativos do banco Patagônia. “Esse é um dos bancos que estamos analisando na Argentina. Há outros também sendo avaliados.”

Com a crise financeira internacional, bancos nacionais ganharam confiança lá fora. No ano passado, em razão dos episódios envolvendo quebras de bancos estrangeiros, aumentou o volume de depósitos realizados no BB no exterior. Em setembro de 2008, os depósitos feitos por empresas fora do País no BB somavam R$ 400 milhões. Em agosto de 2009, chegaram a R$ 4 bilhões e, segundo Toledo, esse volume não caiu passado o momento mais agudo da crise. Pelo contrário, ele cresceu. “No final do ano passado, eles estavam em torno de R$ 5 bilhões”, disse.