Os bancários de Curitiba e região vão parar por 24 horas na próxima terça-feira, dia 30. A decisão foi adotada durante assembléia realizada pelo sindicato da categoria na última sexta-feira.

O objetivo da paralisação é pressionar a Federação Brasileira dos Bancos (Fenaban) a melhorar a proposta – de reajuste de 7,5% – recusada pela categoria. Ao todo, são 18 mil bancários na Grande Curitiba.

Para o presidente do sindicato, Otávio Dias, a proposta da Fenaban está muito aquém do esperado pela categoria. “Como a proposta não satisfez os bancários, faremos a paralisação na terça-feira, depois disso, acontecerão outras grandes mobilizações durante a semana nos bairros de Curitiba e região metropolitana”, diz.

Os bancários querem mais segurança para funcionários e clientes das agências, aumento das contratações, reajuste salarial de 13,23%, participação nos lucros e resultados das empresas, fim das metas abusivas e do assédio moral, criação de planos de cargos e salários e melhores condições de trabalho.

De acordo com Dias, além de não aceitar as propostas feitas pela categoria, a Fenaban pretende acabar com outros benefícios dos bancários. “Os banqueiros pretendem ainda, reduzir direitos já adquiridos pela categoria como auxílio-creche, estabilidade pré-aposentadoria e vale- transporte”, ressalta.

A conscientização e colaboração da população é fundamental. “É importante também que as pessoas se preparem, e não deixem pagamentos e outras questões bancárias que só possam ser tratadas em cima da hora”, ressalta.

A campanha teve início no dia 14 de agosto, com a entrega da minuta de reivindicações. Desde então, o sindicato vem realizando manifestações para demonstrar quais são os motivos da paralisação. A greve, por tempo determinado, conforme orientação do comando nacional, e terá abrangência nacional.