A balança comercial brasileira voltou a registrar déficit, com saldo negativo em US$ 25 milhões na semana passada, resultado de exportações de US$ 3,678 bilhões e importações de US$ 3,703 bilhões. Conforme informou nesta segunda-feira, 09, o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), as vendas externas no ano somam US$ 17,382 bilhões e as importações, U$S 20,581 bilhões, resultando em um déficit de US$ 3,199 bilhões em 2015.

A média diária das exportações na primeira semana de fevereiro foi de US$ 735,6 milhões, o que significou uma queda de 7,7% em comparação com o mesmo período no ano passado. A baixa ocorreu, de acordo com o MDIC, devido à queda de 9% nas vendas externas de produtos básicos (US$ 358,5 milhões para US$ 326,2 milhões), puxada especialmente pela soja em grãos, farelo de soja, carne bovina e suína e minério de ferro.

Houve retração também nas exportações de manufaturados, com recuo de 7,6% na primeira parcial de fevereiro (de US$ 304,3 milhões para US$ 281,1 milhões, na comparação com fevereiro de 2014), após uma menor remessa de óleos combustíveis, polímeros plásticos, máquinas para terraplenagem, motores e geradores, motores para veículos, autopeças e automóveis.

A venda de semimanufaturados apresentou um crescimento de 0,6%, indo de US$ 107,9 milhões na primeira semana de fevereiro de 2014, para US$ 108,5 milhões, na semana passada, com destaque para óleo de soja em bruto, catodos de cobre, ouro em forma semimanufaturada, alumínio em bruto e ferro fundido. Apesar do déficit, segundo o MDIC, houve crescimento de 12,7% em relação a janeiro na venda de manufaturados e de 17,1% em produtos básicos.

Importações

A média diária das importações na primeira semana de fevereiro foi de US$ 740,6 milhões, registrando queda de 18% em relação ao mesmo intervalo de 2014. O recuo ocorreu em função da redução de gastos com combustíveis e lubrificantes (-40,8%), borracha e obras (-26,2%), veículos automóveis e partes (-20,0%), equipamentos mecânicos (-19,3%) e químicos orgânicos/inorgânicos (-18,3%). Já na comparação com a primeira semana de janeiro, houve queda de 7,9%, puxada por uma menor compra de produtos siderúrgicos (-24,9%), adubos e fertilizantes (-23,1%), borracha e obras (-14,5%), químicos orgânicos/inorgânicos (-14,4%) e equipamentos mecânicos (-12,2%).