As vendas reais nos supermercados apresentaram crescimento de 4,92% em junho em comparação ao mesmo mês do ano passado, segundo divulgou hoje a Associação Brasileira de Supermercados (Abras). Em relação a maio, as vendas do setor apresentaram retração de 4,59%. No semestre, o faturamento dos supermercados teve alta de 5,57% sobre igual período do ano passado. Os números estão deflacionados pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

O volume das vendas nos supermercados entre janeiro e junho registra um crescimento de 6,5% em comparação a igual intervalo de 2009, de acordo com levantamento da Nielsen, encomendado pela Abras. O avanço da quantidade de produtos vendidos nos supermercados foi puxado pela cesta de bebidas alcoólicas (+15%) e bebidas não alcoólicas (+10,9%).

Segundo comunicado da Abras, o setor supermercadista mantém bons índices de vendas impulsionados pela geração de empregos, recorde no primeiro semestre, e crescimento da massa salarial. A associação destaca que a queda nas vendas de junho ante maio foi influenciada pelo efeito calendário, já que maio contou com cinco finais de semana cheios enquanto junho teve quatro.

O valor da cesta de 35 produtos considerados de largo consumo, como alimentos, limpeza e beleza, medido pela GfK, apresentou queda nos preços em junho ante maio, de 1,22% para R$ 275,91. Já na comparação com junho de 2009, o valor da cesta avançou 3,89%.

Os produtos com maiores alta em junho ante maio foram farinha de mandioca (+3,53%), xampu (3,34%) e queijo prato (3,23%). As maiores quedas no período ficaram com batata (-19,29%), tomate (-9,74%) e açúcar (-7,12%).