O déficit comercial da indústria de máquinas e equipamentos nacional diminuiu 18,1% no primeiro semestre deste ano em relação a igual intervalo de tempo do ano passado, mostram dados da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) divulgados nesta quarta-feira, 29. De janeiro a junho, o déficit somou US$ 6,392 bilhões. Em junho, o déficit totalizou US$ 929,98 milhões, queda de 3,6% ante maio e recuo de 25,7% frente a um ano atrás.

A diminuição do déficit foi resultado de exportações que somaram US$ 3,946 bilhões no primeiro semestre, montante 17,4% menor do que o registrado no mesmo intervalo de tempo de 2014. Apenas no sexto mês de 2015, as vendas externas totalizaram US$ 680,01 milhões, o equivalente a alta de 7,4% na comparação com maio, mas a recuo de 0,4% em relação ao mesmo mês do ano passado.

Já as importações de máquinas e equipamentos somaram US$ 10,338 bilhões de janeiro a junho de 2015, montante 17,8% menor do que o registrado no mesmo período do ano passado. Apenas no sexto mês de 2015, as compras de outros países totalizaram US$ 1,609 bilhão, alta de 0,7% na variação mensal, porém recuo de 16,8% em relação a junho do ano passado.

Nuci

O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci) da indústria de máquinas e equipamentos nacional ficou em 65,3% em junho deste ano, 0,6 ponto porcentual menor do que o verificado em maio (65,9%) e 10,4 pontos porcentuais inferior ao registrado no mesmo mês do ano passado (75,7%), ainda de acordo com a Abimaq. De acordo com a entidade, a carteira de pedidos do setor caiu 16,9% em junho ante o mesmo mês do ano passado, acumulando retração de 20% no primeiro semestre de 2015.

Emprego

Os dados da Abimaq mostram também que o setor encerrou o mês de junho com 337,428 mil empregados, quantidade 1,2% menor do que em maio e 8,4% mais baixa do que em junho de 2014. Com o resultado do mês passado, a força de trabalho do setor é 6,4% menor no primeiro semestre deste ano na comparação com os seis primeiros meses do ano anterior.

Já nos últimos 12 meses encerrados em junho, a indústria de máquinas e equipamentos fechou mais de 30 mil postos de trabalho.