Pescadores que bloqueavam a Ponte Ayrton Senna, ligação do Paraná com o Mato Grosso do Sul, desde segunda-feira, liberaram a passagem hoje à tarde, depois que o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) do Paraná conseguiu na Justiça mandado de reintegração de posse. A desocupação foi pacífica.

Os pescadores protestavam contra o não pagamento de indenização pelas explosões feitas nas rochas do leito do Rio Paraná para a construção da ponte, que tem quatro quilômetros de extensão. De acordo com os pescadores, desde 1996, quando as explosões ocorreram, o volume de peixes vem diminuindo. De uma média de 30 a 40 quilos por pescador caiu para três ou quatro.

A fila de carros que vinha se estendendo tanto do lado paranaense quanto no sul-mato-grossense foi reduzida na noite de terça-feira, quando os manifestantes permitiram o tráfego por duas horas.

O DER reconhece a necessidade do pagamento da indenização aos pescadores, mas vem discutindo na Justiça o valor pedido, de R$ 9 milhões. Uma reunião deve acontecer na próxima semana para tentar encontrar uma solução.