A polícia investiga a morte de Altino Lopes Filho, de 60 anos. O idoso foi encontrado dentro de um escritório na esquina das ruas Saldanha Marinho com Visconde do Rio Branco, centro de Curitiba, na tarde deste domingo (12). A suspeita é de que ele possa ter morrido de intoxicação por causa do gás do aquecedor.

O homem foi encontrado no final da tarde, dentro do próprio local de trabalho. Nos últimos dias, com o frio intenso que tem feito em Curitiba, Altino pode ter ligado o aquecedor para amenizar as baixas temperaturas.

Segundo informou o Corpo de Bombeiros, o socorro foi chamado para dar atendimento a um vazamento de gás. Quando a equipe chegou ao local, encontrou o idoso morto. Ele estava sentado em frente ao computador, num espaço muito quente e sem ventilação nenhuma.

Por algum motivo, talvez por uma falha no aparelho, a suspeita é de que, com o vazamento de gás, o idoso inalou e morreu intoxicado. Quando Altino foi encontrado, o aparelho ainda estava ligado na sala e o homem morto.

O corpo de Altino foi encaminhado ao Instituto Médico-Legal (IML), e a causa da morte ainda é dada como “a esclarecer”, pois o médico legista deve fazer os exames necessários para apontar o que matou o homem. A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) esteve no local onde Altino foi encontrado, investiga o que aconteceu, mas espera os resultados dos exames.

Alerta

Segundo o delegado Miguel Stadler, da DHPP, o que aconteceu com Altino está sendo investigado, pois tudo indica que ele tenha se intoxicado. “É importante ter muita atenção com os aquecedores, tanto aqueles pequenos, como também os maiores, pois eles podem representar risco sim. Todo cuidado é pouco”, explicou. É importante ter atenção às temperaturas do aquecedor e não exagerar no uso.

Quando a equipe chegou ao local, encontrou o idoso morto.