O sábado (7) começou com manifestação no Centro Cívico, onde representantes do Sindicato do Trabalhadores em Educação Pública do Paraná (APP Sindicato) organizam um ato para solicitar a análise de uma série de reivindicações da categoria por parte da agira governadora do estado, Cida Borghetti (PP).

Por volta das 9h, cerca de 400 pessoas se reuniam em frente ao prédio da Assembleia Legislativa, na Praça Nossa Senhora de Salete, com faixas, balões e carro de som. Intitulado “Rixa nunca mais” – trocadilho com o nome do ex-governador Beto Richa (PSDB) – o movimento foi classificado como “ato público de denúncia à violência”.

Segundo o presidente da APP Sindicato, Hermes Leão, o ato não configura uma comemoração, mas um pedido urgente à governadora. “O governo Richa foi violento. Esse ato pode ser considerado como uma passagem e um pedido para que a governadora respeite o diálogo e repense a segurança pública e principalmente dialogue com os servidores – como Richa não fez”, disse.

A expectativa de público, segundo Hermes, é de mil pessoas. A passeata segue pela Avenida Cândido de Abreu rumo à Praça Tiradentes, onde os manifestantes devem se dispersar, por volta do meio-dia.