Um advogado de Curitiba é suspeito de aplicar um golpe de R$ 23 milhões em um idoso alemão de 94 anos falecido em 2018. Ricardo Feitosa de Araújo, de 53 anos, é procurado pela Polícia Civil por falsificação de documento, lavagem de dinheiro, estelionato e associação criminosa. A operação denominada Deutsch (alemão na língua alemã) cumpre nesta terça-feira ( 17) cinco mandados de busca e apreensão nos bairros Cristo Rei, Alto da XV, Centro e Batel.

A investigação aponta que o advogado usava procurações da vítima para fazer diversas transações financeiras em benefício próprio. O golpe teria começado em 2009, quando o advogado é contratado para cuidar das finanças do idoso de 94 anos que já estava com o discernimento comprometido. A esposa da vítima foi quem teria indicado o advogado. Segundo a polícia, a contratação de Feitosa não teve o aval dos filhos do idoso, que não tinham bom relacionamento com a madrasta.

LEIA+ Prefeito de Guaratuba é investigado por suspeita de fraude no lixo

Com a morte da esposa em 2017, os filhos foram apurar a situação financeira do pai e descobrem irregularidades. Eles entram com ação judicial para derrubar a liminar concedida a Feitosa para administrar os bens do pai. No mesmo dia, o advogado teria transferido R$ 11 milhões do patrimônio do idoso para sua própria conta bancária.

A partir de então começaram a investigações da Delegacia de furtos e Roubos (DFR). Entre os alvos do inquérito está uma empresa no bairro Cristo Rei a qual Feitosa é detentor de 99,95% do capital social, sendo o outro sócio o filho de Viktoria.

Carros de Luxo

Em 2018, o advogado teria adquirido em apenas um mês três veículos. Dois deles de luxo: um Audi A3 e um Mercedes Bens C250. Outro problema apontado pela Polícia Civil é a incompatibilidade na declaração do Imposto de Renda do investigado, que teria apresentado com um aumento de R$ 18,6 milhões em seu patrimônio no ano fiscal de 2016 para 2017.

Feitosa já responde na Justiça por outros processos relacionados a crimes de falsificação de documentos e outras fraudes. A reportagem tenta contato com a defesa de Feitosa.