A chuva que está caindo desde o começo da semana com mais intensidade ainda não é suficiente para imaginar que a estiagem que atinge Curitiba e região metropolitana está perto do fim. Os níveis dos reservatórios de água que abastecem a população cresceram apenas 3% até o início da tarde desta quarta-feira (19). Ou seja, o rodízio de 36 horas em 36 horas no abastecimento de água segue ativo e as pessoas precisam seguir economizando no consumo.

Segundo o Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar), a precipitação acumulada deste mês de agosto até esta quarta-feira (19), pelo menos até às 10h, era de 93 mm em Curitiba. A previsão aponta que o tempo chuvoso irá seguir até sexta-feira (21) com mais 30 mm de água, totalizando 123 mm.

LEIA MAIS – Sanepar cria disque denúncia para frear abuso e desperdício de água em Curitiba

“A previsão aponta que a chuva deve parar na sexta-feira e só deve retornar no fim do mês. Se compararmos historicamente até que choveu bem em agosto, que tem média de 79,8 mm”, comentou Reinaldo Olmar Kneib, meteorologista do Simepar.

Mesmo assim, segundo dados da Companhia Paranaense de Saneamento (Sanepar), a situação segue bem crítica. Atualmente, os reservatórios estão com 30,8% da capacidade, número abaixo do que é considerado normal pelos especialistas.

“A chuva ajuda e dá a impressão que o rodízio pode acabar, mas ainda estamos longe disto. Foram alguns dias chuvosos, mas estamos com a estiagem há meses. Sempre dou um exemplo de uma caixa d´água de mil litros. Não basta ter três litros e deixar o restante vazio”, enfatiza o diretor de Comunicação e Marketing da Sanepar, Hudson José.  

VEJA TAMBÉM – Venda de bombonas pra guardar água em Curitiba dispara com novo rodízio da Sanepar

A ideia é de que os reservatórios cheguem próximo dos 60%, o que significa que a população precisa manter o empenho para alcançar o objetivo e evitar medidas mais rígidas nas torneiras. Ressaltando: a crise hídrica é a pior da história no Paraná, que chegou a apresentar apenas 27% de capacidade nos reservatórios que armazenam água.

Esta evolução nos números deve-se especialmente por dois grandes motivos. Rodízio mais rígido e a chuva dos últimos dias. A Sanepar adotou na última sexta-feira (14) o rodízio de 36 horas em 36 horas afetando 1,2 milhão de pessoas a cada período. Os imóveis ficam um dia e meio sem água e um dia e meio com fornecimento normal.

Primavera

A perspectiva de melhora no quadro é para a chegada da primavera em setembro, pois é um período mais úmido e com chuvas mais constantes. Importante ressaltar que é preciso chover no local dos reservatórios ou nas proximidades das cabeceiras dos rios que desembocam próximo das represas Iraí, Iguaçu, Passaúna e Piraquara 1 e 2, que abastecem quase 3,5 milhões de pessoas de Curitiba e região.

VIU ESSA? – Pandemia faz curitibanos trocarem apartamento por casa em busca de mais espaço

A Sanepar reforça que a economia dos consumidores precisa se manter firme até para ter água no ano que vem. “Seguimos com o quadro crítico e não vai ser esta chuva que vai aliviar a situação. A gente precisa segurar até os próximos meses até para não faltar água no ano que vem. As medidas adotadas estão sendo positivas e já sentimos isto”, aponta Hudson José.  

Dicas para economizar

  • Um banho de 15 minutos exige 105 litros de água. Reduza o tempo para 05 minutos, e o consumo cai para 70 litros
  • Cada vez que você lava as mãos com a torneira aberta o tempo todo, são gastos 7 litros de água
  • Para fazer a barba, com a torneira aberta, um homem gasta 65 litros de água. Feche a torneira enquanto faz a barba, e só volte a usar água para enxaguar. Com a torneira fechada o consumo será inferior a um litro
  • Ao escovar os dentes é necessário apenas um copo de água, mas as pessoas  que não fecham a torneira durante a  escovação  gastam 10 litros
  • A válvula de descarga é um grande vilão no consumo de água. Sozinho o vaso sanitário pode ser responsável por 50% do que se gasta em uma residência
  • Nunca jogue cigarros, absorventes ou papéis no vaso, porque haverá maior consumo de água para mandar esse lixo embora
  • Deixar a mangueira aberta enquanto lava o carro, nem pensar! Se você fizer isso vai gastar 360 litros. Não lave o carro. Se for imprescindível, use apenas a água de um balde  pequeno
  • A água da mangueira não é para varrer a sujeira – use a vassoura
  • Lavar a louça da família também exige mudança de hábito. Se continuar lavando com a torneira aberta o tempo todo, serão gastos 112 litros por pessoa. Mude o hábito. Feche a cuba da pia, encha de água. Ensaboe toda a louça e enxágue com água limpa. Se fizer assim, você vai consumir menos de 10 litros para lavar a louça
  • Procure usar a capacidade máxima da máquina de lavar roupas. Não lave roupas todos os dias. Espere acumular. Você vai economizar água e energia. A água que fez o último enxágue das roupas, no tanque ou na máquina pode perfeitamente ser usada para ensaboar tapetes, tênis e cobertores. Também serve para molhar plantas, lavar carro, pisos e calçadas
  • Recomendações gerais: Quando você for viajar, feche o registro do cavalete de entrada d’água, evitando qualquer desperdício durante sua ausência. Atenção com vazamentos, pois eles são vilões. É fundamental observar se a válvula de descarga está funcionando perfeitamente, se não há manchas de umidade nas paredes e calçadas e também se todas as torneiras estão vedando adequadamente. Uma torneira que fica gotejando durante um mês representa um desperdício de 2 metros cúbicos, o suficiente para atender as necessidades de uma pessoa por 14 dias.

A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?