Um depósito de pneus a céu aberto, no terreno de um imóvel no Cajuru, em Curitiba, tem incomodado a vizinhança. A reclamação é do risco do surgimento de doenças como a Dengue, pela falta de cuidado em proteger as unidades da chuva. A prefeitura de Curitiba já foi acionada várias vezes para fiscalizar o local, mas ainda não houve solução.

O espaço é alugado e, segundo a administração pública, há dificuldade em localizar os proprietários. Os vizinhos também dizem não saber quem são os locatários, já que eles vão até o endereço apenas para descarregar os pneus. O terreno fica no final da Rua Rutildo Pulido, próximo da ponte que faz divisa com o Jardim Weissópolis, em Pinhais, na Região Metropolitana.

Segundo um dos vizinhos, muitos moradores estão inconformados com a situação. Para ele, que preferiu não se identificar, o risco de surgirem focos do mosquito da Dengue (Aedes Aegypti) é evidente. “Dá para perceber que a água se acumula nos pneus. Alguns lotes até tem cobertura de lona, mas fica tudo alagado embaixo da cobertura. Outros amontoados nem sequer estão protegidos. Daqui a pouco esquenta e fica tudo certo para a Dengue. É preciso tomar uma providência”, desabafa o homem.

Uma família da região disse que a prefeitura já foi acionada para tentar resolver o problema, mas não consegue entrar no local para fiscalizar. “Não tem ninguém aí, quase nunca. Só quando descarregam. Antes, funcionava uma empresa de gesso, mas agora não tem nada, só o lugar para guardar os pneus. Não é possível que a prefeitura não encontre o dono. Talvez ele nem saiba o que os locatários estão fazendo ali”, apontam.

+ Colégio Vila Militar ganha nova unidade em Curitiba, com ensino bilíngue

A reportagem flagrou da rua o tipo de armazenagem feita com os pneus. Nos que estão depositados perto do portão, não há nenhuma cobertura para proteção da chuva ou de outros problemas ocasionais. Porém, não foi possível verificar se há acúmulo de água nas unidades de pneus.

O que diz a prefeitura

A administração municipal, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), informou que as equipes de Agentes de Combates às Endemias já fizeram diversas visitas ao local, mas nunca encontraram o responsável, nem o proprietário. Segundo a prefeitura, a Secretaria Municipal do Urbanismo e Assuntos Metropolitanos também foi acionada, na tentativa de busca do responsável. Inclusive, uma notificação por escrito para regularização do terreno já foi emitida pelo Urbanismo.

Questionados sobre uma nova inspeção, a SMS informou que fará uma nova visita para verificar se a notificação foi cumprida. Caso não, segundo a pasta, haverá nova avaliação do local para ver quais medidas legais podem ser tomadas, incluindo a possível instauração de um processo administrativo. A prefeitura também disse que, como se trata de uma propriedade privada e está fechada, não é possível acessar o local sem autorização.

Idoso fica ferido e precisa de socorro dos bombeiros após cruzar preferencial e capotar carro