Um trabalho emocionante, que durou aproximadamente 48 horas, terminou com o resgate de Pingo, um cachorro que passou por maus bocados entre a noite domingo (8) e a noite da última terça-feira (10). Ele caiu em uma valeta localizada em uma casa na Rua Rio Guaporé, no Bairro Alto, em Curitiba. Lá, ficou latindo, chorando e implorando por ajuda.

+Curte o mundo PET? Veja mais no blog Mania Animal!

Quem fez o resgate foram os bombeiros da unidade do Bairro Alto. Segundo o boletim de ocorrência, foi um trabalho intenso, que durou várias horas e até lembrou o resgate da Fafá, uma vaca que ficou atolada várias horas em Piraquara. A ocorrência começou quando os donos da casa, localizada nas proximidades do Colégio Estadual Pilar Maturana, ligaram para os bombeiros implorando por ajuda. Pingo, o cão da família, estava preso em uma manilha no quintal da residência.

“Era meia-noite de domingo, nós soltamos o Pingo para ele fazer as necessidades no quintal e ele não voltou. Logo ouvimos o choro e vimos que ele tinha caído no bueiro. Ele é o cachorro da minha esposa, tem uns 16 anos de idade e é cego”, contou o aposentado Cláudio Figueiredo Pessoa, tutor de Pingo.

Segundo Cláudio, Pingo percorreu uma distância de aproximadamente nove metros até não conseguir mais se mover, logo que chegou a um trecho do sistema que tem pouco mais de 20 centímetros de diâmetro. “Como ele não enxerga, foi indo cada vez mais longe por dentro da manilha, até ficar preso, entalado. Assim ele ficou. Por duas noites escutamos os latidos e choro do Pingo, pedindo ajuda”, relatou o tutor.

Veja momentos do resgate:

Resgate

No local, logo no primeiro atendimento os bombeiros perceberam que a situação de Pingo mostrou-se mais preocupante do que parecia e eles não conseguiram realizar o resgate entre a noite de domingo e madrugada de segunda-feira (09).

Preocupados com o animal, a família mobilizou amigos e vizinhos e com a ajuda deles, conseguiram uma retroescavadeira para facilitar o acesso ao cão. Já era terça-feira (10) quando a família novamente entrou em contato com os bombeiros informando de que o resgate poderia ser feito, uma vez que a retroescavadeira já estava disponível para abrir caminho até o animal.

Buraco foi cavado entre as casas. Foto: Colaboração/ Claudio Figueiredo Pessoa.

“Moramos em um condomínio de cinco casas alugadas. Foi preciso abrir buraco com a máquina e escavar entre as casas, para que os bombeiros pudessem resgatá-lo”, explica o aposentado.

+Viu essa? Médicos do Paraná presos por usar até 15 vezes equipamento médicos

E assim foi, após praticamente 40 horas sofrendo dentro da manilha, Pingo foi resgatado e entregue aos cuidados da família. “Pingo saiu com vida, meio dolorido, mas bem. Ele já comeu, bebeu água, tomou remédio e agora está com a gente, descansando. Vamos cuidar ainda mais dele”, comemora Cláudio, que faz questão de agradecer aos bombeiros, pelo trabalho e dedicação durante o resgate.

“Queria enaltecer o bombeiros que vieram resgatar o Pingo, com todo o empenho e disposição. Agradecer ao tenente Minucio e soldado Lucas do 1 GB; cabo Ednilson, soldado Levandowski e soldado Azevedo do quartel do Bairro Alto; sargento Dias, sargento Medeiros, soldado Pombo, soldado Flávio e tenente Gross do quartel do Cabral”, finaliza Cláudio.

Retroescavadeira usada para cavar o buraco até o Pingo. Foto: Colaboração/ Claudio Figueiredo Pessoa.