Rodovia saturada!

BR-277 será estrangulada mesmo com terceira pista, prevê deputado paranaense

Foto: Átila Alberti/Tribuna do Paraná.

Os lotes 1 e 2 do novo modelo de concessão do novo pedágio prometer uma solução para desafogar o trânsito da BR-277, que liga a capital do Paraná, Curitiba, ao litoral do estado, onde está localizado o Porto de Paranaguá. Enquanto a demanda histórico segue sem perspectiva de ser atendida, os prejuízos estruturais na rodovia e os danos econômicos se acumulam ao longo dos anos e pesam sobre o setor produtivo paranaense.

A bancada paranaense no Congresso Nacional colocou em pauta um projeto para a construção de um novo traçado de acesso ao litoral paranaense pela BR-277. Para o presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados, Tião Medeiros (PP-PR), a projeção é de que a solução viável seja concretizada em uma década.

“A gente quer iniciar toda a parte burocrática para viabilizar um novo traçado. São avaliações demoradas, seja na esfera na ambiental ou na que concerne a engenharia. A ideia é começar já e criar uma lista de ações para corrermos atrás do dinheiro. Estamos falando de algo para daqui 10 anos”, projeta.

A discussão, segundo Medeiros, é estratégica para o litoral paranaense e engloba o desenvolvimento do turismo, a importância do Porto de Paranaguá, além de se tornar um escape para eventuais dificuldades decorrentes de questões climáticas mais graves.

“Nós temos vieses que se somam para a intensificação do volume de tráfego para o litoral. Além disso, numa eventualidade de isolamento como já aconteceu, nós teremos uma segunda subida e descida. Temos vários pontos que convergem para o início do trabalho”, explica.

Triplicação vai desafogar BR-277?

De acordo com o presidente da Comissão de Agricultura, ainda que a nova concessão de pedágio contemple a triplicação da pista, ainda assim é necessária uma via que sirva de alternativa.

“Dentro das projeções de expansão do Porto, em menos de 15 anos, a rodovia vai estar estrangulada. Quem vai permitir dizer como será e por onde será, é a própria engenharia. Pode ser uma conexão até a BR-116, que vai para São Paulo, tem a possibilidade de ser via BR-101, conectando Santa Catarina, e pode ser uma descida de Curitiba. Existem possibilidades que serão analisadas pela parte técnica”, aponta.

Para o parlamentar, o olhar para o futuro se torna ainda mais necessário diante do desenvolvimento com obras de infraestrutura da atual gestão do governo estadual. “Tem as obras na engorda da praia em Matinhos, a ponte de Guaratuba. Isso vai ampliar ainda mais a questão do turismo no litoral. São questões, obviamente, que se somam para que a gente corra atrás de condições melhores para esse deslocamento.”

O deputado comparou o novo traçado com o sistema Anchieta-Imigrantes, principal ligação rodoviária entre a região metropolitana de São Paulo e o Porto de Santos.

“Por mais que seja um pontapé inicial, é algo que tomaria uma proporção como tem São Paulo com a Anchieta e a Imigrantes. Ou seja, rodovias que fazem ligações fundamentais e que auxiliam no desenvolvimento daquele estado. Assim desejamos que aconteça por aqui no futuro”, almeja.

Você já viu essas?

Denúncia de crime ambiental para derrubada de centenas de árvores em Curitiba
Denuncie!

Denúncia de crime ambiental para derrubada de centenas de árvores em Curitiba

Bar raiz em Curitiba “captura” clientes por horas; Comida boa, cerveja gelada e proteção do Papa
Clássico!!

Bar raiz em Curitiba “captura” clientes por horas; Comida boa, cerveja gelada e proteção do Papa

“Uber” para caminhoneiros, empresa de Curitiba fatura milhões
Inteligência

“Uber” para caminhoneiros, empresa de Curitiba fatura milhões

Whatsapp da Tribuna do Paraná
RECEBA NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP!
Receba as notícias do seu bairro e do seu time pelo WhatsApp.