A Superintendência de Trânsito (Setran) começa nesta terça-feira (24) a implantar a sinalização para vagas de Estacionamento Rotativo (EstaR) no bairro Água Verde, um dos mais tradicionais de Curitiba. A ampliação para estacionamento com duração máxima de duas horas abrange vias transversais à Avenida Iguaçu (entre as avenidas Getúlio Vargas e Silva Jardim), começando na Rua João Negrão e se estendendo até a Rua Castro Alves. 

+ Veja também: Recém eleito, vereador de Curitiba é flagrado pichando toldo de mercado em protesto

Serão 568 vagas para veículos de passeio (até 1,8 tonelada) e 105 para motos, além de 22 vagas exclusivas para pessoas idosas e 16 para pessoas com deficiências, três vagas para ambulância e 17 para táxi. Por toda a cidade, o EstaR funciona em dias úteis das 9h às 19h e aos sábados das 9h às 13h. Haverá ainda 17 vagas para carga e descarga.

Também serão 35 novas vagas para 15 minutos pisca-alerta.

IMPORTANTE. As vagas de pisca-alerta valem, inclusive, para os horários noturnos e também aos finais de semana. Ou seja, não é permitido parar ali mais do que 15 minutos a qualquer tempo.

“Temos uma demanda para uso rotativo das vagas próximo de áreas comerciais. O aumento nas vagas de EstaR faz parte de um projeto de ampliação que, futuramente, contemplará outras regiões da cidade”, informa a superintendente de Trânsito, Rosangela Battistella.

Como período de adaptação para a novidade nas transversais da Avenida Iguaçu, durante a semana que vem agentes de trânsito farão as devidas orientações aos motoristas que utilizarem as vagas de EstaR sem ativação dos créditos. A partir de 3 de dezembro, o condutor que estacionar no perímetro em desrespeito à sinalização receberá um aviso de infração que, se não for regularizado, pode gerar uma multa de trânsito. 

+ Leia mais: Dois cães de Curitiba testam positivo pra coronavírus e têm sintomas específicos

Avenida Sete de Setembro

Na quinta-feira (26) começa a implantação de sinalização de EstaR com duração máxima de 2 horas na Avenida Sete de Setembro, entre a Rua Cândido Xavier e a Avenida Presidente Arthur da Silva Bernardes.
 
No trecho haverá 176 vagas para veículos até 1,8 tonelada, cinco vagas exclusivas para idosos e três para pessoa com deficiência. Três vagas para carga e descarga, 26 para motos e 17 para utilização 15 minutos pisca-alerta completam o planejamento para a Sete de Setembro. 

As orientações aos motoristas que estacionam neste perímetro acontecem de 30 de novembro a 4 de dezembro, com início efetivo da fiscalização no dia 7 de dezembro.
 
No município são cerca de 12,5 mil vagas de EstaR existentes, das quais 11 mil para veículos até 1,8 tonelada, 496 para carga e descarga, 645 exclusivas para utilização de idosos e 343 para pessoas com deficiência.

Como funciona?

A Urbanização de Curitiba S.A (URBS) é o órgão responsável por administrar e gerenciar, direta ou indiretamente, o EstaR da cidade, sendo que a fiscalização do uso correto das vagas é feita por agentes da Setran. Informações sobre o uso e a ativação de créditos online podem ser consultadas neste link.

+ Não perca: Restaurante, academia e bar: estudo mostra locais com maior risco de infecção por coronavírus

Caso o cidadão tenha recebido um aviso de infração nas vagas do EstaR é possível fazer a regularização, em até cinco dias úteis, no site da Urbs. A regularização é condicionada ao pagamento de uma taxa de R$ 30 – esse valor não vira crédito. 

Veículo pode ser guinchado

Motorista que deixar o carro em vagas do EstaR acima do limite de tempo permitido (dependendo da vaga, pode variar de 1h a 2h, indicado nas placas ao lado das vagas) pode ter o veículo guinchado.  A medida está prevista no artigo 181 (inciso XVII) do Código de Trânsito Brasileiro (CTB): estacionamento em desacordo com a regulamentação, em estacionamento regulamentado indicado com placas.

A infração é de natureza grave, com multa de R$ 195,23 e cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH), além da possibilidade de remoção do veículo.

O veículo também pode ser guinchado caso esteja estacionado em vagas exclusivas para idosos ou deficientes, sem a devida comprovação. O mesmo acontece em locais em que é permitido apenas o embarque e desembarque ou parada de 15 minutos com pisca-alerta ligado.