O diretor presidente da Companhia de Informática do Paraná (Celepar), Marcos Mazzoni, anunciou nesta sexta-feira o lançamento do “Expresso”, uma solução em software livre para substituir a função de correio eletrônico no Estado, mas que está aberto a toda a sociedade. O produto foi lançado no dia em que a Secretaria Especial de Assuntos Estratégicos e a Celepar comemoram um ano de implantação do Programa de Software Livre do Paraná.

O formato do Expresso é originário da Alemanha e foi adaptado para o uso do governo no Brasil. “Com o Expresso vamos poder oferecer um endereço eletrônico para os 1,5 milhão de alunos da rede pública do Paraná, através do Portal Dia a Dia da Educação, além de beneficiar cerca de 100 mil funcionários e os usuários dos telecentros, com custo zero”, destaca Mazzoni. Através de software comercial, o custo de um e-mail mais barato seria em torno de R$ 100,00, lembra o presidente da Celepar.

Um ano

Para comemorar um ano de software livre e inclusão digital no Estado, Mazzoni reuniu funcionários da Celepar para falar do novo produto e dos resultados já obtidos, além das metas da empresa até 2006. “Substituímos o sistema de proteção do governo através do software livre, o que representou uma economia de R$ 2 milhões só com a expansão desse sistema”. Mazzoni citou a Bolsa de Nova Iorque, a Nasa e a Casa Branca como exemplos de uso do Linux para sistemas de proteção mais seguros.

Neste um ano de inclusão digital, também já estão em funcionamento 10 telecentros, localizados em Curitiba, Ventania, Ortigueira, São Miguel do Iguaçu, Ilha do Mel, Fazenda Araupel e Guaraqueçaba. “Até o fim deste ano teremos 80 telecentros funcionando e, no final de 2005, 200 unidades oferecendo às comunidades acesso à internet”, disse Mazzoni.

“As metas iniciais foram alcançadas e superadas”, comemorou o presidente da Celepar, ao lembrar que o processo de substituição de software proprietário para livre se expandiu no Governo, assim como a construção de plataformas de desenvolvimento e a geração de novas soluções, como o Expresso, que também podem ser estendidas a toda a comunidade.