Três dias de chuva com algumas tempestades de granizo deixaram pelo menos 279 pessoas desabrigadas no Rio Grande de Sul, conforme um levantamento preliminar feito pela Defesa Civil nesta segunda-feira (11). Em General Câmara, na região carbonífera, a 80 quilômetros de Porto Alegre, uma chuva de granizo perfurou o telhado de dezenas de casas na noite de ontem. Segundo o coronel Marco Aurélio Forlin, subcomandante da Defesa Civil, a prefeitura recolheu 264 pessoas a abrigos improvisados em igrejas e colégios.

Em Mostardas, no litoral norte, a 200 quilômetros de Porto Alegre, o prefeito Gilnei Nazareth informou à Defesa Civil que duas ocorrências de granizo, às 2 horas de ontem e às 8 horas desta segunda-feira, danificaram o telhado de mil residências. Duas famílias com dez pessoas tiveram de ser levadas para um abrigo provisório. Como a chuva prosseguiu por todo o dia, os bombeiros e os funcionários da prefeitura tiveram dificuldades para cobrir com lonas as casas que sofreram danos.

Em Santa Maria, na região central do Estado, a 287 quilômetros de Porto Alegre, o granizo provocou estragos nos telhados de 70 casas, mas não houve necessidade de transferir os moradores para abrigos. Em algumas regiões da cidade de Porto Alegre a precipitação de sábado e de ontem passou da média de 132,7 milímetros das séries históricas do mês de junho. A casa de uma família foi derrubada por um deslizamento de terra. Os cinco moradores foram recolhidos para um abrigo municipal.