De passagem pelo Rio, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello disse nesta sexta-feira (14) que acredita que o julgamento da constitucionalidade das pesquisas com células-tronco embrionárias no Brasil, liberadas pela Lei de Biossegurança em março de 2005 e contestadas por uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) dois meses depois, seja realizado até o início do mês de abril. "Acho que o escore vai ser muito apertado. A diferença deve ser de um ou dois votos. Talvez seja seis a cinco ou sete a quatro", afirmou. Ele não quis declarar seu voto.

O julgamento está suspenso desde o dia 6, porque o ministro Carlos Alberto Menezes Direito fez um pedido de vista da Adin ajuizada pelo ex-procurador-geral da República, Claudio Fonteles em contestação à Lei de Biossegurança e pela proibição de pesquisas com células-tronco embrionárias no País.