Foto: Diogenis Santos/Agência Câmara

Arlindo Chinaglia: presidente pediu reajuste menor que os deputados.

Brasília – Depois que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sinalizou que não quer aumento 82% para o seu salário e o dos ministros de Estado, o presidente da Câmara, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), afirmou que deverá ser aplicado aos vencimentos do presidente o mesmo índice de 26,49% que reajustará os dos parlamentares.

Anteontem, a mesa da Câmara decidiu propor para o salário do presidente da República um reajuste maior do que o dos deputados e senadores, com o objetivo de equipará-lo ao que está sendo proposto para os parlamentares. O salário de Lula – que é de R$ 8.885,45 – passaria para R$ 16.250,42, que será o valor dos salários dos parlamentares com um reajuste de 26,49%. Os parlamentares recebem hoje R$ 12.847,00.

?Quando fizemos a avaliação, minha opinião era de que seria razoável o presidente, o vice-presidente e os ministros ganharem igual aos deputados e senadores. Evidentemente, o índice que o presidente anunciou será aplicado?, disse Chinaglia.

Cabe ao Congresso fixar os salários do presidente da República, do vice, dos ministros de Estado e dos próprios parlamentares. O índice de 26,49% se refere à inflação dos quatro últimos quatro anos medida pelo IPCA.