Brasília – Apenas 68 cidades poderão ter segundo turno nas eleições municipais deste ano, entre os 5.563 municípios brasileiros onde haverá votação. A condição para o município ter segundo turno é contar com mais de 200 mil eleitores aptos para o pleito. Com isso, não haverá nova votação em quatro estados (Acre, Amapá, Roraima e Tocantins), pois nem mesmo suas capitais contam com 200 mil eleitores.

Rio Branco possui 179.865 eleitores Macapá, 193.475; Boa Vista, 144.465; e Palmas é a capital com menor eleitorado entre as capitais: 112.124 pessoas estão aptas a votar em 3 de outubro. São Paulo é o Estado onde mais haverá possibilidade de nova votação, pois há 19 municípios com eleitorado superior a 200 mil. O Rio de Janeiro vem em segundo lugar, com nove cidades.

Para efeito de obrigatoriedade do voto, o segundo turno é considerado uma eleição distinta. Portanto, o eleitor é obrigado a comparecer às urnas em 31 de outubro, tendo votado ou não na primeira fase, no dia 3 de outubro. O mesário que trabalhou no primeiro turno também deve prestar o serviço no segundo pleito.

Os números envolvidos na eleição brasileira apontam para o maior pleito informatizado do mundo. São 406 mil urnas eletrônicas disponíveis para instalação nas 359.326 seções eleitorais. Todas elas funcionarão como postos de justificativa para os eleitores que estiverem fora de suas cidades no dia da votação e, em estados como Rio de Janeiro e São Paulo, poderão ser criados postos para atender eleitores que justificarão a ausência. Estão aptos 119.821.569 eleitores para o pleito municipal de 2004.