Sérgio Rosa Sales, primo do goleiro Bruno Fernandes de Souza, foi assassinado na manhã de hoje na região norte de Belo Horizonte, bairro Minaslândia, com vários disparos de arma de fogo.

Ele era réu, juntamente com o goleiro, no desaparecimento e morte de Eliza Samudio, a ex-amante de Bruno.

Sérgio foi o único dos réus que chegou a confirmar quase toda a versão do adolescente que denunciou toda a trama e assassinato. Mais tarde, os dois voltaram atrás nas versões que tinham dado.

O adolescente, atualmente com 18 anos, cumpre medida socioeducativa. Sérgio aguardava em liberdade o julgamento. Com ele eram oito réus.

A morte de Sérgio Rosa Sales foi confirmada pela assessoria de imprensa da Polícia Militar, que informou que a perícia está no local. Não há suspeitos do crime e não se sabe se o assassinato tem relação com a morte de Eliza.

Depois de ficar preso por um ano e um mês, Sérgio ganhou a liberdade provisória em 11 de agosto de 2011. Pesou a favor dele o fato de a Justiça ter considerado que ele colaborou com as investigações.

Ele responderia pelos crimes de homicídio triplamente qualificado (homicídio com uso de meio cruel, com impossibilidade de defesa da vítima e cometido com o intuito de garantir a impunidade de outro crime), sequestro, cárcere privado e ocultação de cadáver.

Bruno; Luiz Henrique Romão, o Macarrão (amigo e ex-secretário de Bruno); e Marcos Aparecido dos Santos, o Bola (ex-policial e suposto autor do homicídio) continuam presos. Os outros quatro réus aguardam o julgamento em liberdade.

Ainda não há data para acontecer o julgamento, porque há recursos em tramitação. O STF (Supremo Tribunal Federal) ainda vai analisar um pedido de liberdade da defesa de Bruno.

Eliza Samudio desapareceu em junho de 2010. Ela pedia pensão para o filho que teve com o goleiro Bruno. Segundo a denúncia, Bruno não queria pagar e, por isso, montou um plano para matá-la com ajuda de Macarrão. O corpo de Eliza nunca foi encontrado.