A Petrobras vai recorrer da decisão do Conselho Nacional de Auto-Regulamentação Publicitária (Conar) tão logo venha a ser comunicada oficialmente da determinação que suspende a veiculação de dois anúncios publicitários relacionados ao meio ambiente.

No entendimento do Conar, as peças divulgavam a "falsa idéia" de que a empresa tem contribuído para a qualidade ambiental e o desenvolvimento sustentável do país.

A decisão foi tomada em resposta ação movida por entidades governamentais e não-governamentais inclusive as secretarias estaduais de meio ambiente de São Paulo e Minas Gerais, além do Greenpeace e da ONG Amigos da Terra.

Para essas entidades, a Petrobras – embora afirme em suas campanhas e anúncios publicitários, o compromisso com a qualidade ambiental, a responsabilidade social e o desenvolvimento sustentável – não vem realizando os esforços necessários para uma atuação social e ambientalmente correta.

Em nota distribuída imprensa, a Petrobras afirma que tem o compromisso de disponibilizar o diesel 50 ppm (partícula de enxofre por milhão) em janeiro de 2009. O novo combustível será disponibilizado para os veículos pesados que utilizem o diesel como combustível.

A nova tecnologia objetiva adequar o consumo s exigências da fase P-6 do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve) – instituído pelo Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama).

A estatal brasileira informa ainda que o planejamento estratégico da companhia estabelece que os investimentos na qualidade dos combustíveis serão de cerca de US$ 8,5 bilhões até 2012.

A Petrobras também afirma que estará implantando unidades de hidrotratamento (HDT) em nove, de suas 11 refinarias, para reduzir o teor de enxofre no diesel comercializado no país.