O ministro da Defesa, Nelson Jobim, inicia no dia 14 de abril, pela Venezuela, um périplo pelos países da América do Sul para defender a criação do Conselho de Defesa Sul-americana. A viagem à Venezuela foi marcada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva diretamente com o seu colega venezuelano, Hugo Chávez. Lula é um dos principais defensores da criação deste conselho, com objetivo de contribuir para a formação de identidade sul americana no campo da defesa.

Para Jobim, se este conselho já existisse hoje, "poderia ter ajudado" na solução do conflito entre a Colômbia e o Equador. "A idéia fundamental é termos essas discussões ao nível regional", disse o ministro, depois de lembrar que a própria secretária de Estado norte-americana, Condoleezza Rice, elogiou a iniciativa.

Jobim afirmou que é preciso que a América do Sul chegue "a uma posição em bloco, em termos de defesa, para nos tornarmos mais fortes". Para ele, esta necessidade "poderá consolidar um arcabouço político-estratégico que possa servir de base para a composição de uma concepção regional de Defesa". O ministro prosseguiu explicando que "a idéia da formação do conselho é exatamente contribuir para a criação de uma identidade sul-americana no campo da Defesa, com políticas conjuntas, criação de livros brancos, definição de intercâmbios de pessoal, formação e treinamento de militares, que hoje são iniciativas bilaterais, realização de exercícios militares conjuntos e participação conjuntas em forças de paz".