O Ministério da Saúde informou que serão criadas 12 mil vagas de residência até 2017, sendo quatro mil nos próximos dois anos. A intenção, segundo a pasta, é zerar o déficit da residência em relação ao número de formandos em Medicina. Hoje, concluem o ensino superior 15 mil médicos e há apenas 11.468 vagas de residência disponíveis. O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, concederá entrevista à imprensa ainda na manhã desta terça-feira, 25.

Segundo o ministério, as medidas serão acompanhadas de investimento anual de R$ 80 milhões em hospitais e unidades de saúde que expandirem programas de residência. São, de acordo com a pasta, R$ 20 milhões para infraestrutura e aquisição de material e R$ 60 milhões para manutenção dos programas de residência e formação dos profissionais de saúde que vão orientar os residentes.

As instituições públicas estaduais e municipais e os hospitais privados sem fins lucrativos interessados nas novas vagas poderão se inscrever entre 1º de julho a 30 de setembro por meio do site do Ministério da Saúde.