Brasília – Para comemorar do Dia Internacional da Filosofia, a Organização das Nações Unidas para Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e Ministério da Educação (MEC) realizaram hoje, uma mesa redonda para discutir “A importância da Filosofia no mundo de hoje e sua volta ao Ensino Médio”.

O debate reuniu o assessor especial da Unesco no Brasil, Célio da Cunha; o filósofo e professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Emannuel Appel; a professora de filosofia da USP, Maria das Graças Souza; o filósofo e diplomata Rubem Mendes; o professor da Universidade de Campinas, Antenor Gonçalves, e a diretora da Secretaria de Ensino Médio e Tecnológico do MEC, Marise Ramos.

?Uma das finalidades do ensino médio é a formação humana e o aprimoramento da pessoa humana, além da compreensão dos princípios científicos tecnológicos que regem a produção moderna?, disse Marise Ramos.

Há mais de 32 anos fora dos currículos escolares do ensino médio, as disciplinas de filosofia e sociologia podem voltar a ser obrigatórias a partir do próximo ano. O MEC está trabalhando um projeto de lei que altera a Lei de Diretrizes e Bases (LDB), prevendo a recomendação das matérias como essenciais para formação da mentalidade crítica dos jovens. ?A formação dos conceitos científicos e também das ciências humanas é um processo de desenvolvimento do pensamento social. A filosofia possibilita isso: o desenvolvimento do pensamento crítico?, afirmou Marise.

Mas para o professor Antenor Gonçalves, é importante saber como o assunto filosofia será abordado em sala de aula. ?A filosofia deve preservar sua especificidade, como a lógica, a ética, mas não deve privilegiá-las. Esses conteúdos só têm valor para os jovens de hoje, se eles vêm ajudar a resolver os problemas fundamentais que se inserem na vida deles: como a fome, a falta de emprego, a noção do que é a vida, do que é ser um cidadão?, lembrou o professor.

Uma das soluções propostas pelos debatedores seria aproximar os alunos da filosofia com a escolha de temas que se encaixassem em cada realidade, e ainda auxiliar as escolas na formação dos professores e do conteúdo pedagógico para garantir que a disciplina esteja realmente atingindo seus objetivos.