Brasília

– A primavera, que começa no dia 23, à 01h54, sofrerá a influência do fenômeno “El Niño”, embora moderada, já a partir de outubro. A estação terá temperaturas acima do normal para o período – entre dois a três graus -, mais chuvas no Sul e uma grande irregularidade nas precipitações previstas para as regiões Sudeste e Centro-Oeste. A previsão é do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), do Ministério da Agricultura, e foi divulgada ontem pelo secretário-executivo do Ministério, Márcio Fortes de Almeida (foto). “As chuvas serão mais espaçadas nas Regiões Sudeste e Centro-Oeste, entre sete a 15 dias”, disse o chefe da Divisão de Meteorologia Aplicada do Inmet, Expedito Rebello.

Ele também explicou que o “El Niño – aquecimento acima do normal das águas do Oceano Pacífico – ” deste ano será moderado, o que significa que o fenômeno deverá trazer prejuízos mínimos para a agricultura. A possibilidade maior de danos é para o Rio Grande do Sul, onde , se as chuvas forem fortes, poderão prejudicar a colheita do trigo. Para a Região Sul do País, a previsão é de que também poderão ocorrer ventos fortes e quedas de granizo. Nas áreas mais ao sul do Rio Grande do Sul, os índices de chuva diminuem tradicionalmente em novembro, sendo comum ocorrerem períodos de estiagem com duração de 10 a 15 dias. As chuvas no Sul, segundo Rebello, serão ligeiramente acima dos padrões climatológicos em quase toda a região, com exceção apenas do norte do Paraná.

No mês que vem, massas de ar frio ainda poderão atingir a região, com geadas tardias nas regiões mais altas do Sul.