Brasília – A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Correios detectou indícios de lavagem de, pelo menos, R$ 8 milhões de quatro empresas que receberam recursos da agência de publicidade SMP&B e da Tolentino Associados, ligadas ao empresário Marcos Valério Fernandes de Souza. O relator da CPI, deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), e do sub-relator Gustavo Fruet (PSDB-PR) reuniram-se hoje com a diretoria do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) para pedir ajuda nas investigações sobre eventual lavagem de dinheiro por meio dessas empresas.

As empresas que receberam recursos de Valério são: RS Empreendimento e Participações, com sede no Panamá; Athenas Trading, do Uruguai; Link Trading, dos Estados Unidos, e Guaranhus Empreendimentos, que têm escritórios nas Ilhas Cayman e no Uruguai. ?São empresas que têm vinculação com o Marcos Valério e mandaram recursos para o exterior?, afirmou Fruet, depois do encontro no Coaf. ?A maior parte dos recursos para essas quatro empresas foi repassada pela SMP&B?, afirmou. Segundo ele, a Guaranhus recebeu R$ 5,7 milhões da agência de publicidade, a Athenas, R$ 1,9 milhão também da SMP&B, e parte dos R$ 700 mil repassados para a RS foi pela Tolentino.