Brasília – A Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) registrou, no ano passado, prejuízo líquido de R$ 76,3 milhões. O índice é 43,6% menor do que o do ano anterior. O relatório com o balanço financeiro da instituição foi publicado nesta sexta-feira (14) no Diário Oficial da União (DOU).

Os números mostram que a empresa diminuiu parte das despesas operacionais em cerca de 80%. Em contrapartida, a receita bruta, composta, entre outros serviços, pelas tarifas de pouso e permanência, embarque e armazenagem, cresceu 11% e passou de R$ 2,257 trilhões.

De acordo com as informações divulgadas, o menor prejuízo não está relacionado à diminuição de obras estruturais em aeroportos. Os recursos aplicados no setor foram superiores a R$ 337 milhões, cerca de R$ 31 milhões a mais do que em 2006.

A Infraero também divulgou aumento na demanda de passageiros e, conseqüentemente, do número de vôos. No ano passado, mais de 110 milhões de passageiros usaram os aeroportos administrados pela empresa, o que representa crescimento de 8%. O movimento de decolagens aumentou 6% e chegou a 2 milhões.

Dados oficiais mostram que mais de 28 mil profissionais, do quadro e terceirizados, trabalham na Infraero. A empresa administra 67 aeroportos e concentra 97% do tráfego aéreo regular do país.