O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse nesta terça-feira (6) que o diálogo continua aberto com o PSDB, embora o partido já tenha anunciado à imprensa que votará contra a prorrogação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). Mantega afirmou que não recebeu nenhuma declaração formal dos tucanos. Segundo ele, mesmo que o PSDB decida fechar questão contra a CPMF, o governo prosseguirá na tentativa de aprovação do tributo, que, segundo ele, é fundamental para as contas do País.

O ministro disse que não pensa em fazer uma contraproposta ao PSDB e evitou responder se manterá as medidas de desoneração anunciadas hoje caso o PSDB decida voltar atrás. "Vamos discutir com a base se retiraremos ou não as medidas, caso o PSDB não aprove a proposta."

Ele disse que enquanto não ouvir a definição do PSDB, não vai precipitar a sua conclusão sobre o andamento destas medidas. "Cabe ao PSDB dar a resposta se quer X, Y ou Z. Eles têm que se pronunciar e dizer onde devemos avançar", acrescentou ao avaliar que "talvez" o PSDB esperasse mais nas desonerações para pessoa física.