O policiamento foi reforçado hoje no entorno das favelas de Manguinhos e Jacarezinho, na zona norte do Rio. As comunidades, assim como Mandela e Varginha, devem ser ocupadas pela depois de amanhã para a possível implantação de uma UPP (Unidade de Polícia Pacificadora).

Por volta das 13h, policiais militares faziam blitzes nas vias de acessos às favelas. A reportagem passou pela região e avistou barricadas de ferro e concreto formadas por traficantes nas entradas das comunidades. Homens do Bope (Batalhão de Operações Especiais) circulavam em picapes no entorno do Jacarezinho. Eles revistavam suspeitos e acompanhavam o movimento no local.

A cracolândia – apontada pela polícia como a maior do Estado do Rio – funcionava normalmente. Viciados se enfileiravam nas calçadas em meio a montes de lixos.

Mais cedo, a TV Globo divulgou imagens – flagradas através de câmera escondida – da venda e do consumo de drogas no Jacarezinho. As cenas mostram que a negociação acontece em plena luz do dia. Em frente a uma escola, em horário de grande movimento de estudantes e trabalhadores.

“Traficante: Tu quer crack de quanto? Repórter: Quanto é que é? Traficante: De 2, de 5, de 10, de 15, de 25 e de galo”, diz a matéria da emissora, que ainda mostra que o comércio do crack é flagrado dentro da favela e na avenida Dom Hélder Câmara, uma das mais importantes da zona norte da cidade.

Em entrevista à imprensa durante evento com crianças de favelas com UPPs pela manhã no Maracanãzinho, o secretário de Segurança Pública do Rio José Mariano Beltrame não admitiu que as favelas do Jacarezinho e Manguinhos serão ocupadas por conta do resgate do traficante Diogo de Souza Feitosa, o DG, na 25ª DP (Engenho Novo), no início de julho.

“Nossa ideia é de recuperar território e levar paz para aquelas pessoas e garantir a liberdade de ir e vir. Nós não podemos fazer e não vamos fazer de um marginal um troféu. Isso é consequência de um trabalho”, disse.

Na ocasião, Feitosa foi resgatado na delegacia por 15 homens armados com fuzis identificados como traficantes das favelas de Manguinhos, Mandela e Jacarezinho. Houve troca de tiros, mas os criminosos conseguiram fugir.