O ministro do Trabalho, Ricardo Berzoini, afirmou que o país não possui “liberdade e autonomia sindical”. Para o ministro, a legislação atual sobre os sindicatos “cria reserva de mercado, cartórios, contribuições compulsórias que sustentam um modelo sindical inadequado para a democracia, para a representatividade e para o fortalecimento da negociação coletiva”.

Berzoini informou que a reforma sindical está prestes a ser enviada para o Congresso Nacional. Segundo ele, o conteúdo da proposta mostra que é impossível chegar a um modelo que agrade a todos os setores envolvidos. “O resultado do trabalho que fizemos não é perfeito para o governo. Não é perfeito para os empresários e não é perfeito para os trabalhadores. Mas é o passo necessário para que possamos rumar para um cenário de liberdade e de autonomia sindical”.