Há cerca de apenas 10 anos os picapes médias começaram a entrar no mercado brasileiro. Apesar disso, o segmento conta agora com boas opções, a maioria atual. E nesse segmento a Ford Ranger XLT 2.8 tem tudo para agradar por seu visual moderno e robusto, inspirado na F-150 americana, características observadas principalmente na parte dianteira.

ja711_181104.jpgVista de frente, ela segue a linha "cara-de-má" adotada pela nova geração mundial de picapes. Vista de trás, as lanternas lhe diferenciaram das demais concorrentes, dando-lhe um aspecto moderno, ousado, de vanguarda mesmo. Os faróis e piscas se parecem com canhões de luz e ficam atrás das lentes, da mesma maneira que nos automóveis da marca o EcoSport e o Fiesta, são redondos e com lentes transparentes, trazendo a luz de pisca incorporada.

A aparência de robustez foi conseguida pela disposição de elementos estéticos e pela maior altura do solo. O capô tem um vinco central mais pronunciado, bem marcado, com a grade dianteira em forma de colméia. A grade do seu radiador foi alargada e ganhou entrada maior para refrigeração. O conjunto ótico é novo e tem formato de canhão, com lentes translúcidas dispostas num fundo negro. As rodas ficaram maiores, com 16 polegadas e pneus 245/70, complementando a idéia de robustez. Além disso, seus pára-lamas foram alargados.

O que menos mudou no estilo da Ranger foi a parte traseira, que apesar de ficar mais encorpada, ainda é parecida com a da versão anterior. O destaque é o logotipo da Ford, que saiu da lateral e passou a ocupar o centro da tampa da carroceria.

Na Ranger, os destaques ficam por conta do bom acabamento e da instrumentação completa, que inclui até manômetro de óleo. O que se vê por dentro reflete o que foi visto por fora. As mudanças introduzidas no interior do carro tornaram a vida a bordo mais agradável: os bancos passaram a ser produzidos com espumas de densidades diferenciadas, ganharam novo formato, encostos de cabeça reguláveis e trilho com curso maior. Além disso, o assento do motorista agora conta com ajuste de altura, o que permite maior conforto e segurança na direção. Mas na versão cabine dupla, os encostos dos bancos traseiros, deixam a desejar quanto a conforto.

Outra novidade da cabine é a boa quantidade de porta-objetos. Entre os principais equipamentos de segurança, a Ranger disponibiliza air-bags para motorista e passageiros, além de freios ABS como itens opcionais nas versões de entrada e de série nas intermediárias e nas topo de linha. (BN)

Conforto e tecnologia

ja721_181104.jpgO modelo avaliado pela Jornal do Automóvel, uma Ranger XLT 4×4 diesel era equipada com motor turbo 2.8 Power Stroke da International, que segundo a Ford desenvolve 132 cavalos (a 3.800 rpm) e de 36,2 kgmf a apenas 1.600 giros rpm. Mas graças a tecnologia inovadora do turbocompressor de geometria variável (TGV), sua potência é elevada para 135 cv (a 3.800 rpm), com torque de 38,2 kgfm (a 1.400). O câmbio é manual de cinco marchas e a velocidade máxima, também de acordo com a marca norte-americana, é de 150 km/h.

Seu desempenho não é nada decepcionante, principalmente por se tratar de um modelo a diesel. Na rodovia BR-277, que liga Curitiba ao litoral, a Ranger mostrou ser estável e bem disposta. A força do utilitário ficou clara logo na saída, pelo bom nível de força em baixa rotação. A apenas 2.000 giros, conseguimos atingir os 110 km/h, velocidade máxima permitida na rodovia. Nas diversas situações de curva acentuada, podemos afirmar que a nova Ranger está mais "agarrada" ao chão, ainda mais estável do que era.

A suspensão da Ranger mostrou que absorve bem as irregularidades do piso, graças aos novos ajustes e inclusão de amortecedores e molas mais macios. Sua suspensão ganhou novos amortecedores e, na parte dianteira, molas de poliuretano e barra estabilizadora. A versão a diesel ganhou barra estabilizadora na traseira e novo desenho de molas. O acionamento da tração 4×4 é feito por intermédio de botão giratório que fica no painel e isso pode ser feito com o veículo em movimento, até 90 km/hora. A reduzida, ao contrário, apenas com o carro parado, claro.

Como tem mais de cinco metros de comprimento (5,15m), por quase dois de largura, a Ranger deve ficar longe de vagas apertadas. Mas como tamanho não é documento, a capacidade de carga da Ranger é de 1.070 kg, bem menos do que a picape da Toyota, que tem capacidade para 1.170 kg. Os novos pneus todo-terreno Scorpion 245/70 de 16 polegadas, contribuem para rodagem firme e macia da picape.

A Ranger mais em conta, XLS Cabine Simples a gasolina, custa R$ 45.900,00. A XLT 2.8 4×4 diesel tem preço sugerido de R$ 84.600,00. E a topo de linha, Limited 4×4 turbodiesel, sai por R$ 88.500,00 e oferece bancos e volante revestidos de couro, CD player com viva-voz, retrovisores cromados e estribos laterais entre os itens de série. Picapes como a Ranger contam com clientes fiéis e também são um tipo de veículo muito desejado por proprietários de automóveis, inclusive mulheres. (BN)

FICHA TÉCNICA

RANGER CABINE DUPLA 4X4

Motor:

Nomenclatura: TGV 2.8 L Power Stroke

Combustível: Diesel

Localização/posição: dianteiro, longitudinal

Ciclo/tempos: Diesel, quatro tempos

Nº cilindros: quatro, dispostos em linha

Nº de válvulas/cilindro: duas (uma de admissão e uma de escape)

Potência máxima: 135 cv a 3800 rpm

Torque máximo: 38,2 mkgf a 1400 rpm

Taxa de compressão: 19,5:1

Velocidade Máxima: 160 km/h

Transmissão: mecânica Eaton de cinco velocidades.

Freios:

De serviço:

sistema hidráulico com duplo servo-assistido e ABS para as rodas traseiras.

Estacionamento:

mecânico com ação nas rodas traseiras, acionado por cabo ligado a um pedal com sistema de trava. Suspensão

Dianteira: tipo braços curtos/longos com molas tipo barra de torção, amortecedores a gás e barra estabilizadora.

Traseira: tipo eixo motriz semiflutuante, molas semi elípticas de dois estágios com amortecedores hidráulicos de dupla ação. Barra estabilizadora (versão Diesel).

Rodas/Pneus:

liga leve 7,0J x 16, pneus 245/70 R16"

Direção:

hidráulica, composta de pinhão e cremalheira.

Tanque de combustível (L): 75

Capacidade de carga (kg): 1.070

Peso bruto total (kg): 3.020

Cap. máx. tração (kg): 3.050