As linhas externas do Renault Mégane Grand Tour produzido na planta de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, são modernas, arrojadas, com pureza de estilo das mais convincentes e agradáveis.

Sua parte frontal é idêntica à do modelo sedã, com os faróis formando um conjunto harmônico com os pára-lamas, grade e capô.

A grande área envidraçada possibilita alto nível de luminosidade interna do habitáculo, além estar em harmonia com o desenho do veículo, pois os vidros laterais parecem afilar-se da dianteira para a traseira, contribuindo para sensação de leveza e movimento do design do Mégane Grand Tour.

Na traseira, o destaque fica para as linhas limpas, fluidas e bem concebidas.

As lanternas traseiras, com desenho moderno, percorrem toda a altura da lateral do veículo, prolongando-se quase até o teto.

Além disso, esse conjunto harmoniza-se com o vidro traseiro, que mistura linhas retas com detalhes curvos, como a parte translúcida em que acomoda as luzes de direção e a de marcha à ré. Suas dimensões dão à impressão de se tratar de um veículo de segmento superior. É uma “station wagon” que expressa segurança, robustez e status.

O interior do Grand Tour dá ênfase ao conforto e ao bem-estar dos ocupantes. O habitáculo é espaçoso e aconchegante.

Conta com exclusivo sistema de ignição ativado por meio de um cartão eletrônico, dispensando a chave de contato. Com dimensões semelhantes às de um cartão de crédito, o dispositivo não faz volume no bolso e é de fácil manuseio.

É equipado com motorização de 2.0 litros, gasolina, com potência de 138 cv a 5.750 rpm.

Uma importante característica desse motor, que tem comando de válvulas variável, é a presença de 90% do torque máximo -19,2 kgfm a 3.750 rpm, que começa a ser sentido a partir de 2.00 rpm.

Isso significa muita força em qualquer regime de rotações do motor, o que torna a dirigibilidade do Grand Tour extremamente agradável e segura, seja nas acelerações, nas retomadas de velocidade ou nas ultrapassagens.

E as opções de câmbio também são as mesmas do sedã: manual de cinco ou seis marchas e automático de quatro, com função seqüencial.

Dados da Renault informam que o Mégane Grand Tour 2.0 automático acelera de 0 a 100 km/h em 11,9 segundos e atinge velocidade máxima de 194 km/h. Por favor, só tente esse desempenho num autódromo.

O carro é silencioso. Ainda assim, para suportar a nova traseira (mais pesada do que a do sedã), a Renault efetuou mudanças na suspensão.

O propulsor oferece boas respostas, especialmente na cidade. Os pontos fortes do Mégane Grand Tour 2.0 são: boa estabilidade em curvas, frenagens seguras graças ao ABS e alto nível de conforto. (BN)

Ficha técnica

Motor Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro
Cilindrada 1.998 cm³
Potência 138 cv a 5.500 rpm
Torque 19,2 kgfm a 3.750
Câmbio Manual, de seis marchas ou automático, de cinco
Comprimento 4,49 m
Largura 1,77 m
Altura 2,68 m
Entre-eixo 5,20 m
Peso 1.365 kg (manual) e 1.380 kg (automático)
Suspensão Pseudo McPherson com braço inferior retangular e barra estabilizadora na dianteira; eixo flexível com pontos de fixação exteriores e deformação programada na traseira
Freios A disco nas quatro rodas, com sistema ABS
Tanque 60 litros
Preço ,sugerido a partir de R$ 67.990,00 (manual) a R$ 81.890,00 (automático)