O presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Milton Zuanazzi, disse hoje que a agência está estudando a redistribuição de vôos que estão concentrados em horários de pico como uma das medidas para solucionar os problemas da aviação civil. Ele disse também que está em estudo a definição de horários fixos para vôos charter.

Zuanazzi admitiu que não há solução de curto prazo, "porque não tem controlador (de vôo) na esquina". E por conta disso disse que não há condições para assegurar que o problema será resolvido até as festas de fim de ano. Ele ressaltou, porém, que tudo está sendo feito para minimizar os problemas. Ele disse que o setor tem crescido muito, acima da economia. No ano passado, lembrou, o setor cresceu 26% e este ano 13%, enquanto a economia teve um crescimento de 3%.

"Isso não é ruim, mas causa dificuldades, porque há falta de controladores no País. E qualquer problema que exista em um ponto ou qualquer problema adverso, como o que houve ontem (climático), provoca atrasos e há um efeito dominó", afirmou. "O país tem uma malha integrada, que foi um sistema adotado para benefício do consumidor, inclusive reduzindo preços", acrescentou Zuanazzi, ao chegar para a sessão conjunta das comissões de infra-estrutura e de Relações Exteriores e Defesa Nacional, do Senado, para discutir a crise na aviação civil.